Reforma Trabalhista

Com tantas mudanças que a nova lei apresenta, há quem identifique positividade para a retomada do mercado.

Se você esteve no Brasil nos últimos 12 meses, com certeza já deve ter ouvido falar sobre a Reforma Trabalhista, ainda que não saiba exatamente o que ela propõe. Existem muitos prós e contras sobre estas medidas para os brasileiros, porém, vamos entender aqui de que maneira ela pode atingir o mercado imobiliário.

Polêmica

Uma das principais discussões a respeito destas mudanças está relacionada à perda de direitos por parte dos trabalhadores. Por esse motivo, muitas pessoas se posicionaram contra a reforma trabalhista.

Questões como férias, jornada de trabalho, demissão, tempo na empresa, entre outros pontos, terão suas regras alteradas, o que foi do desagrado de grande parte da população.

Um exemplo é a jornada de trabalho, que atualmente é limitada a 8 horas diárias, 44 semanais e 220 mensais, com restrição de 2 horas extras por dia. Com a reforma, ela passaria a contemplar até 12 horas diárias, com 36 de descanso, mas dentro do limite semanal de 44 horas semanais e 220 mensais.

Vantagens imobiliárias

Talvez, essa reforma seja mais um ponto positivo para a retomada do setor imobiliário. Com as novas regras, o empregador terá mais liberdade para negociar sua contratação com o próprio empregado. Dessa forma, os riscos que ele corre são menores e sua atitude de investimento será maior.

Especialistas afirmam que a reforma deve atingir, inclusive, a contratação dentro da construção civil, o que afeta diretamente o mercado imobiliário. Com a possibilidade de contratos mais curtos e negociáveis, as construtoras, que por vezes necessitam de funcionários sazonais, terão mais esta possibilidade.

Desvantagem

Também há quem critique a reforma para o próprio mercado imobiliário. Uma visão é entender que com a falta de representatividade do empregado nas negociações com o patrão, a venda de imóveis pode ser afetada.

Com mais facilidade para ser demitido ou ter seu salário reajustado, o empregado, que também é um comprador de imóveis em potencial, ficará mais tímido para financiar ou investir neste ramo.

Fonte: publicidadeimobiliaria.com